13/04/2015

Resenha: Caixa de Pássaros


Malorie é uma sobrevivente. Por quatro anos a mulher lutou contra um instinto humano, o de abrir os olhos. Tudo começou quando ela e sua irmã ouviram notícias de pessoas que cometiam atos violentos e em seguida se suicidavam. Qual o motivo dessas pessoas cometerem tantas atrocidades? Elas viram algo ou alguém. Agora, Malorie tem a missão de guiar seus dois filhos por um caminho perigoso, ela teme que a criatura esteja por perto e o pior, ela teme que a criatura possa enlouquecê-la.

Preço: R$ 29,90
Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Páginas: 269

Malorie vive vendada, perdida num mundo cinzento e sem alegria, seus filhos são "Garoto" e "Menina", duas crianças nascidas e criadas nessa terra caótica e violenta. A mãe descobre um lugar seguro, mas para salvar a vida de seus filho Malorie deverá enfrentar seus piores medos. Nesse mundo, só existe uma regra. "Não abra os olhos"

Em seu livro de estreia Josh Malerman impressiona com uma escrita semelhante a de grandes autores como Stephen King. Caixa de pássaros é um suspense psicológico, nele é possível ver duas tramas simultâneas, a do passado (Malorie acaba de encontrar um grupo de sobreviventes e se une a eles) e o presente (Malorie e seus dois filhos fogem da casa para um santuário.), nas duas o leitor é surpreendido a cada folhear de página, mas a trama do passado é com certeza a mais envolvente e violenta. Essa intercalação deixa a leitura mais dinâmica e desperta curiosidade no leitor.

Anastasia se venda para não morrer.
Confesso que comecei a leitura cheio de expectativas, li várias resenhas e me animei com cada capítulo que passava. Estava ansioso pelo final, mas queria que o livro durasse para sempre. Os personagens são fenomenais, a trama é de tirar o fôlego, os acontecimentos brutais são realmente pesados e as "criaturas" que matam, deixam o leitor com medo da própria sombra.

O que mais chama atenção na obra de Malerman é o vilão, um inimigo que não pode ser visto, os personagens ouvem seus passos, sua respiração, mas não o veem. Quando o leitor fecha o livro ainda consegue sentir a presença perto do si, assim como os personagens, obviamente é só uma impressão gerada pela escrita, mas é de deixar até o leitor mais corajoso de cabelos em pé.

Sombrio, violento e instigante, Caixa de Pássaros é quase impossível de definir, de largar e com toda certeza é impossível de esquecer. Prepare-se para uma leitura fenomenal, alguns sustos e várias noites mal-dormidas!

0 comentários: