28/08/2015

Resenha: Quarteto Fantástico (2015)

 Recheado de polêmicas desde o anúncio de elenco, Quarteto Fantástico é o reboot da história de Reed Richards, Jhonny Storm, Sue Storm e Ben Grimm. O filme já possuía a grande responsabilidade de apagar os erros cometidos na franquia de Tim Story, além de precisar surpreender o público para uma possível sequência. O público até saiu surpreendido, mas não foi positivamente.

Dirigido por: Josh Trank
Elenco: Miles Teller, Kate Mara, Michael B. Jordan e Jamie Bell.
Duração: 100 minutos

Quarteto Fantástico narra a história de quatro jovens que tem suas vidas completamente alteradas após um acidente científico. Reed Richards é um jovem cientista que parte em uma missão de viagem dimensional, mas um acidente acontece e os quatro tripulantes da nave são atingidos, quando retornam para a terra adquirem habilidades poderosas que podem mudar drasticamente as vidas de cada um deles.

Quarteto Fantástico não é um filme de super-heróis, se você espera assistir batalhas cheias de efeitos especiais, superpoderes e cooperação entre heróis, não vá ao cinema. O foco da trama é dado para a ficção científica, o resultado é agradável, mas com o desenrolar dos acontecimentos a trama se desconstrói ,o filme perde a identidade científica e foca nos heróis. Essa inconstância desagrada muito e torna Quarteto Fantástico uma mistura que não funciona muito bem.

Bombardeado de críticas negativas, Quarteto Fantástico chegou aos cinemas cheio de baixas expectativas. Motivadas principalmente pela (decepcionante) cena de batalha final. Infelizmente, o público não analisa todo filme ao criticar violentamente o longa que tem seus pontos positivos. Se comparado ao Quarteto Fantástico de 2005 o reboot é muito mais inteligente, realista e profundo.

Quarteto Fantástico acerta nos recursos científicos, fazendo uso de vários termos inteligentes, mas esclarecendo-os durante os diálogos. A dificuldade do quarteto se adaptar aos poderes é outra adição inteligente que contrasta com as cenas cômicas da versão anterior.Também são notáveis as utilidades dos uniformes de Reed, Sue e Jhonny, que mantém as habilidades dos heróis sob controle e que também oferecem funções extras.

Os efeitos especiais são visualmente agradáveis, principalmente a fisionomia do Coisa que é MUITO superior a da versão de 2005. Os poderes de Sue e Jhonny também são muito bonitos, já a elasticidade de Reed Richards pode causar estranheza em algumas cenas.

Quarteto Fantástico é um filme que arrisca muito, que erra bastante, mas que também atinge grande quantidade de acertos. A produção da Fox convence o público, é inteligente, possui referências que agradam muito aos fãs dos quadrinhos e pode evoluir muito se houver uma sequência.







2 comentários:

  1. Honestamente, eu realmente esperava mais do filme,mas uma coisa eu não posso negar, a CG desse filme ficou bem melhor, sem contar que os detalhes do Coisa também ficaram surpreendentes

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir