06/10/2015

Os Filhos de Anansi

Charlie Nancy é um homem extremamente comum, não que isso o perturbe. Ele adora o fato de possuir uma vida feliz ao lado de suanoiva, admira a ausência de conflitos em sua trajetória e confia que sempre viverá dias calmos, mas a morte de seu pai faz Nancy descobrir segredos inimagináveis sobre seu passado, seu progenitor e sobre Spider, seu misterioso irmão. A chegada dessas descobertas acabam com a sensação de estabilidade de Charlie, mas a pior de todas é a notícia de que ele é filho de um deus africano, Anansi, o deus aranha.

Preço: R$ 39,90
Autor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Páginas: 328

Existe algum leitor que nunca ouviu falar de Gaiman? Famoso por tratar do horror de forma primorosa, construir tramas profundas e criar personagens cativantes, Gaiman erra muito em Os Filhos de Anansi e mancha uma reputação grandiosa. O principal erro do autor é não atingir uma identidade, durante a leitura é impossível determinar de que tipo de livro se trata, a história de Charlie Nancy tenta ser várias coisas, mas acaba se perdendo no meio do caminho. Seu terror é fraco, o romance é superficial, o tôm cômico da obra é exagerado e azeda bastante a experiência.

Outro defeito de Os Filhos de Anansi é a presença de personagens mal-construídos, o protagonista Charlie é chato e cansativo, seu irmão Spider apela para o humor, mas não consegue causar riso. O vilão é um dos piores já vistos, suas ações são impulsivas e demonstram extrema ignorância da personagem. Se tem algo que incomoda muito é o apelido do protagonista, que é repetido muitas vezes (MUITAS MESMO!) durante o desenrolar da trama.

O enredo é inesperado, pois os personagens não apresentam nenhum objetivo importante, suas motivações são egoístas e inacreditáveis. As razões para os conflitos que acontecem desenvolvem-se de forma muito rápida, tirando a credibilidade da obra. Em alguns momentos o autor empurra alguns acontecimentos para o leitor que é obrigado a acreditar, mesmo sabendo da impossibilidade dos mesmos.

O autor também peca no desenvolvimento da parte mitológica da trama, por tratar-se de um deus Africano, Gaiman conseguiria fornecer informações culturais interessantíssimas para o leitor, infelizmente ele prefere deixar a parte mais curiosa da história do lado de fora, eliminando o grande potencial que o livro possuía.

Recheado de erros, personagens superficiais, acontecimentos inacreditáveis e cenas tediosas, Os Filhos de Anansi é um livro que possuía grandes chances de divertir o público (anos depois da febre de mitologia de Rick Riordan), mas que se perdeu por falta de informações sobre a temática abordada pelo autor. Com certeza, a obra de Neil Gaiman vai entrar na lista dos piores do ano, espero que o autor acerte nas próximas vezes, pois é impossível comparar o maravilhoso Coraline com o raso Os Filhos de Anansi.



0 comentários: