05/11/2015

Resenha: Selva de Gafanhotos

Austin é um garoto aparentemente estável, mas vive uma confusão todos os dias. Ele compartilha sua rotina tediosa com duas pessoas, Shannon (sua namorada) e Robby (seu melhor amigo). Depois de alguns acontecimentos envolvendo Robby, Austin começa a questionar o que ele sente por cada um dos dois. Quando tudo parece ficar extremamente difícil de entender, vem algo que acaba com qualquer estrutura que o personagem ainda possui. A cidade de Austin é invadida por um grupo de louva-deus assassinos que se alimentam de humanos.

Preço: R$ 29,90
Autor: Andrew Smit
Editora: Intrínseca
Páginas: 350

Confesso que quando ouvi a sinopse de Selva de Gafanhotos fiquei um pouco assustado. A ideia de um fim do mundo enquanto o personagem se questiona sobre sua sexualidade, simplesmente não me convenceu. Felizmente, o autor acerta ao fazer recurso de acontecimento apocalípticos, isso deixa atrama bem mais dinâmica e estimula o leitor a continuar folheando as páginas e a tentar descobrir quem criou esses monstros e porque. Os insetos assassinos deixam o enredo um pouco mais interessante, é possível "assistir" a morte de vários personagens que falham em escapar dos monstros.

Austin é um protagonista entediante. Suas menções ao passado da família, repetições da palavra "tesão" e a falta de empatia que ele gera com o leitor deixam seus monólogos cansativos e enrolados. O histórico de seus antepassados apresenta acontecimentos irrelevantes para trama que só desaceleram a leitura e atrapalham bastante.  Os coadjuvantes são bem mais interessantes, Shannon e Robby conseguem disfarçar a falta de graça de Austin e complementar as cenas de interação entre os três.

A edição é linda, é muito fácil pegar o exemplar e levar para casa só pela aparência física do livro. Sua lombada é colorida assim como as páginas. A capa também é bonita, mesmo sendo simples e minimalista.

A escrita de Andrew Smith é interessante, mas um pouco confusa. O autor apresenta flashbacks, acontecimentos violentos e dias comuns pelo ponto de vista do mesmo personagem, essa ideia de protagonista onisciente é impossível, pois o mesmo narra fatos dos quais nunca foi informado e que nunca presenciou.

Selva de Gafanhotos é definido por muitos como "ou você vai amar, ou vai odiar" infelizmente, fico com a segunda opção, o maior defeito da obra é um protagonista fraco, que não consegue sustentar a trama, além disso entedia o leitor e deixa o livro lento e cansativo. Mesmo com todos esses defeitos, Andrew Smith acerta ao inserir criaturas carnívoras e assustadoras que movimentam a obra e dão um pouco de vida ao insosso Selva de Gafanhotos.


0 comentários: