06/11/2015

Resenha: Linda, como no caso do assassinato de Linda

A cidade de Växjö sempre foi pacata e pouco movimentada, até o dia que encontram o corpo da aluna da Academia de Polícia, Linda. Para lidar com o caso a polícia local solicita o auxílio de Evert Bäckström, um agente corrupto, beberrão e muito machista. Enquanto busca pistas do assassinato de Linda, Evert suspeita que o assassino possa ser um serial killer que conta os minutos para poder aumentar o número de vítimas.

Preço: R$ 39,90
Autor: Leif GW Persson
Editora: Intrínseca
Páginas: 429

Sou fissurado em mistérios, acontecimentos envoltos de segredos conseguem manter o leitor preso, mas infelizmente, isso não ocorreu com Linda, como no caso do assassinato de Linda. O livro possui capítulos longos e repetitivos (assim como o título), as descobertas demoram muito para aparecer e várias vezes o leitor se questiona se deve continuar a leitura.

O protagonista é extremamente cansativo, seus diálogos são cheios de preconceitos, suas ações são demoradas e extremamente repetitivas. Evert deixa difícil de acreditar que poderia ser um policial competente, pois a todo momento toma as mesmas decisões, que quase sempre não trazem resultados relevantes para o mistério.
Não é fácil de se afeiçoar aos personagens, eles são superficiais, tediosos, corruptos, machistas, etc. Linda, como no caso do assassinato de Linda me lembrou Lugares Escuros, mas extremamente cansativo e longo. A resolução final do mistério é rasa e deixa o leitor insatisfeito.

A escrita de Leif Persson é realista, durante os capítulos, o autor exibe várias críticas a polícia e a burocracia. Mas, mesmo fazendo uso desses recursos inteligentes, Leif não consegue salvar seu livro da  mesmice e dos capítulos terrivelmente longos. Além disso, o escritor também falha ao não desenvolver seus personagens de forma inteligente. O leitor simplesmente não consegue criar empatia com nenhum deles.

Repetitivo, cansativo e extremamente lento, Linda, como no caso do assassinato de Linda não convence o leitor e nem dá vontade de continuar. Esquecível e pouquíssimo recomendado.



0 comentários: