03/01/2016

Análise: Until Dawn (PS4)

"Alguns amigos viajam para um chalé afastado de tudo. Lá, eles descobrem estar sendo perseguidos por um maníaco assassino" Já ouviu isso em algum lugar? Provavelmente. Until Dawn é um exclusivo de PlayStation 4 que possui uma premissa extremamente clichê, mas que consegue arrancar muitos sustos sem abusar de jumpscares.

Título: Until Dawn
Disponível para: PS4
Preço: de R$113,91 a R$180,00 (compare games)

Desenvolvido pela Supermassive games, Until Dawn narra a história de oito amigos, que se reúnem um ano depois de uma tragédia para superar os acontecimentos violentos. O game funciona como um filme interativo, no qual o jogador controla as decisões, diálogos e a movimentação dos personagens. Suas decisões durante o gameplay interferem nos acontecimentos e na sobrevivência dos oito membros do grupo.

Os gráficos são extremamente verossímeis, isso acontece devido ao sistema de captura de movimentos que foi utilizado na construção dos personagens. O elenco responsável pela atuação dos personagens é composto por atores jovens, mas completamente eficientes, entre eles se destacam a atriz Hayden Panetierre (Heroes) que interpreta Sam e Rami Malek (Mr.Robot) que dá vida ao jovem Josh.

O enredo é simples, mas agradável. Josh, Sam, Matt, Mike, Emily, Chris, Ash e Jess são amigos que se reúnem em um chalé de inverno com a intenção de relembrar duas amigas que desapareceram no ano anterior. O que era pra ser uma noite de diversão e festa se transforma em uma perseguição assustadora quando o grupo nota que não é o único que se esconde na montanha Blackwood, um psicopata também está por lá e ele tem sede de sangue.

Usando do sistema de decisões que atualmente está dominando o mundo dos games, Until Dawn é tenso e assustador, pois além de fugir de um assassino em série o jogador precisa se preocupar em manter os oito personagens vivos, até o amanhecer. Algumas decisões podem parecer irrelevantes, mas durante o gameplay é possível notar consequências graves (ou não) para essas escolhas.

Until Dawn é um game de fator replay altíssimo (Fator replay é a chance de um player retornar ao jogo, depois de completá-lo), pois como suas decisões influenciam na trama. É muito divertido observar o que teria acontecido se outro rumo fosse tomado. É aconselhável que você não assista gameplays se deseja jogar futuramente, pois mesmo sendo desenvolvido através das suas decisões, alguns acontecimentos são idênticos na trama independentemente das decisões tomadas.

Durante a jogatina é possível notar referências a grandes nomes do terror como O Iluminado, Eu Sei o que Vocês Fizeram no Verão Passado, Jogos Mortais, A Morte do Demônio, etc. Until Dawn abusa de clichês de filmes de terror, mas acerta em cada um deles. O maior clichê é aplicado na construção dos protagonistas, patricinha, nerd, namorados (que só pensam em sexo), certinha, etc, mas mesmo assim, o game consegue torná-los verossímeis e carismáticos.

Um dos recursos mais inteligentes do título é o analista que aparece em momentos tensos do game e discute com o jogador sobre seus traumas e medos. Além de prolongar o gameplay e deixar o jogador tenso, o analista também coleta informações que serão usadas para assustar quem joga.
Until Dawn cria uma atmosfera tensa que envolve o jogador devido a mecânica inteligente que obriga o player a simular movimentos realizados pelos personagens, criando assim, intimidade e empatia.

Inteligente e tenso, Until Dawn é o game perfeito para jogar com os amigos (e ouvi-los gritando). A mecânica inteligente, trama interessante, personagens cativantes, trilha sonora tensa e os gráficos assustadoramente belos são apenas alguns fragmentos que tornam Until Dawn uma experiência inesquecível.






2 comentários:

  1. Respostas
    1. Loren!!
      Senti sua falta aqui nos comentários, esse jogo é maravillhosos mesmo :D

      Excluir