11/06/2016

Resenha: Invocação do Mal 2

Depois de ficarem mundialmente conhecidos pelo caso de Harrisville retratado em Invocação do Mal, Ed e Lorraine Warren retornam às telonas para enfrentar forças opressoras que atacam uma família britânica.

Dirigido por: James Wan
Elenco: Vera Farmiga, Patrick Wilson, Simon McBurney, etc.
Duração: 2h 14min

A sequência de Invocação do Mal, que teve um sucesso colossal no ano de 2013, chegou nos cinemas no dia 9 de junho. Narrando os acontecimentos do caso do Poltergeist de Einfield, o filme mostra o dilema de uma família que é constantemente oprimida e assombrada por aparições, sons, ataques físicos e até possessões. Baseado em fatos reais, Invocação do Mal 2 mostra a jornada do casal de demonologistas que precisa enfrentar os espíritos que assolam a família e ao mesmo tempo, devem se proteger de forças malignas que anseiam por suas vidas.

É possível notar a evolução de  James Wan em Invocação do Mal 2, o diretor mantém as transições de cenários e enquadramentos que surpreenderam bastante no primeiro título e além disso desenvolve muito os personagens nessa sequência gerando empatia, intensificando as tensões e consequentemente, os sustos. Mesmo sendo um filme de terror, Invocação do Mal 2 não é visualmente escuro, suas cenas são coloridas e cheias de vida, no entanto com o desenvolvimento da trama é possível notar que o filme vai ficando sombrio e obscuro.

Os sustos ainda são frequentes, o que mais agrada em Invocação do Mal 2 é a tensão construída, não só pelos acontecimentos paranormais, mas também pelos diálogos, trilha sonora e  alguns elementos aparentemente inocentes, como brinquedos. Os personagens são bem desenvolvidos, por isso é mais fácil se assustar com os eventos que perturbam a família, James Wan acerta ao introduzir uma pequena menina como vítima central das possessões, pois isso surpreende o público e explora o foco dos filmes de Wan, as relações familiares.

Podem ficar tranquilos que não vou fazer nada com esses crucifixos!
Diferentemente de Invocação do Mal, a sequência possui muitos acontecimentos verídicos e apresenta várias situações quase idênticas aos acontecimentos em Einfield. A participação dos Warren é (obviamente) estendida e fortemente alterada, mas os fenômenos que perturbam a pequena Janet são, quase todos exatamente como os reais. É possível (caso você seja muito corajoso!) ouvir os áudios da garota sendo possuída e de um espírito de um idoso falando através dela.

James Wan conseguiu acertar na sequência de Invocação do Mal, a direção evoluiu, os personagens tiveram mais espaço de desenvolvimento, os sustos ficaram mais criativos e imprevisíveis, contudo o maior acerto da sequência foi inovar e ao mesmo tempo manter a identidade da franquia, algo que dificilmente acontece em títulos populares de terror. Maduro, criativo e horripilante, Invocação do Mal 2 é um ótimo filme para aqueles que buscam algo inovador no meio de tantos títulos repetitivo.



0 comentários: