05/06/2017

Resenha - A Viúva

A Viúva conta a história de uma esposa dedicada que vive um casamento "perfeito", mas tudo isso é virado de cabeça pra baixo quando seu marido é acusado de um crime inimaginável. Anos depois, ele morre e a viúva finalmente está livre para contar tudo que sabe sobre seu esposo.

Preço: R$ 44,90
Autora: Fiona Barton
Editora: Intrínseca
Páginas: 299

Glen Taylor e sua esposa Jean são felizes juntos, ou pelo menos era o que a esposa achava. Quando os jornais culpam ele por um crime inaceitável, Jean não sabe como lidar com isso, mas decide fazer o que sempre fez durante o casamento, manter sua postura de esposa perfeita e refúgio para Glen nas situações mais difíceis. O que ela nunca imaginaria é o quanto isso seria difícil quando se suspeita do homem que ama.
Anos depois, Glen morre em um acidente, Jean decide que não existe mais nada que a impede de falar tudo que sabe e das coisas que suspeitou durante os anos de investigação. Uma jornalista chamada Kate entra na vida da viúva e ela se abre cada vez mais sobre seu marido e sobre o crime supostamente cometido por ele. Aos poucos a mulher nota o quanto os "absurdos" entraram em sua mente e obrigaram-na a se calar sobre coisas que não deveriam ficar escondidas.

A Viúva é um romance policial com traços de suspense-psicológico. O livro apresenta diversos pontos de vista, os principais são o da viúva, da repórter e do detetive. A mudança de protagonismo dá um pouco mais de dinamismo para trama que é consideravelmente lenta e bem pesada. A escrita da autora é agradável, mas Fiona Barton falha um pouco no desenvolvimento dos questionamentos, para o leitor alguns dos mistérios do livro são bem previsíveis e o único plot-twist presente não é bem trabalhado, o que causa a sensação de potencial desperdiçado.

O mais interessante de toda trama é o relacionamento de Glen e Jean, a autora mostra de forma brilhante como um relacionamento abusivo pode se disfarçar de casamento perfeito e como uma parte pode manipular a outra e fazê-la sentir-se mal por erros não cometidos. O desenvolvimento da viúva é genial e um dos meus pontos favoritos da obra. O livro também questiona o papel da mídia em casos com grande visibilidade e como os jornais podem prejudicar as investigações e criar "vilões" antes dos próprios detetives.

A Viúva usa de viagens temporais, em momentos a trama se passa no passado, com o surgimento das suspeitas sobre Glen, em outros mostra Jean falando sobre ele depois de sua morte. Essa linha temporal pode confundir o leitor em alguns momentos e desacelerar bastante a leitura. A demora para a autora entregar algumas informações para o leitor também prejudica um pouco a cadência da trama.

Mesmo com alguns defeitos, A Viúva é uma obra forte sobre uma personagem feminina presa em um relacionamento abusivo, um crime inaceitável e uma investigação cheia de falhas. A trama complexa pode diminuir um pouco o rito da leitura, mas nada que compromete a qualidade da obra. O livro é forte e pesado, mas possui uma protagonista que deve ser conhecida (e admirada) por todos.

 


0 comentários: